Provided by: brazilian-conjugate_3.0~beta4-21_all bug

NOME

       conjugue - conjugador de verbos da língua portuguesa

SINOPSE

       conjugue [-v VARIÁVEL=valor] ...

DESCRIÇÃO

       conjugue  lê  um  banco  de  verbos contendo paradigmas e listas de verbos que se conjugam
       segundo cada paradigma, e permite conjugar verbos através de um interface iterativa ou  na
       forma de um comando simples dado no prompt do shell.

       Pode‐se  passar  parâmetros  para  o  conjugue  através  da  opção  -v do awk, que permite
       predefinir o valor de uma variável. As variáveis no caso são:

       BANCO  Path completo do banco de verbos (default /usr/lib/brazilian-conjugate/verbos).

       NOVOS  Path completo do arquivo onde o conjugue apenda verbos novos, que não constam ainda
              do banco (default $HOME/.conjugue-novos).

       FORMATO
              Formato  da  saída.  A  saída é a conjugação (as formas) do(s) verbos que se deseja
              conjugar. As possibilidades para a saída são: c (curto, usado para gerar listas  de
              palavras), n (normal, o formato original, um pouco críptico), ci (usado para listar
              os verbos para o br.ispell), aa (usado para gerar as regras de  afixos  verbais  do
              br.ispell),  l  (longo,  um  pouco  menos críptico do que o "n") e ll (muito longo,
              semelhante ao que as gramáticas costumam usar).  b (usado para gerar  a  lista  dos
              paradigmas ou dos verbos nos formatos do dicionário base). O formato default é l.

       CMD    Execute  esse comando. Nesse caso, o conjugue executa o comando dado e abandona. De
              outra  forma,  o  conjugue  apresentará  um  prompt  para  a  entrada  de  comandos
              iterativos.  Os comandos disponíveis são ?  para mostrar um sumário dos comandos, a
              para listar as abreviações, n para exibir algumas notas, f para abandonar, e T para
              conjugar todos os verbos do banco. Para conjugar um verbo determinado, basta entrar
              com esse verbo no prompt de comandos (ou indicá‐lo na linha de comandos como  valor
              inicial de CMD ).

EXEMPLOS

       1. Conjugar o verbo "amar" com a saída no formato muito longo:

       $ conjugue -v FORMATO=ll -v CMD=amar

       2. Entrar no modo iterativo e exibe as conjugações no formato muito longo:

       $ conjugue -v FORMATO=ll

       3.  Conjugar  todos  os  verbos do banco explicitado, gerando uma lista de radicais para o
       br.ispell:

       $ conjugue -v BANCO=verbos -v FORMATO=ci -v CMD=T

BANCO DE VERBOS

       O Banco de verbos contém a conjugação dos paradigmas e, para cada um deles, uma  lista  de
       verbos  que  se  conjugam  segundo  aquele  paradigma.   Cada paradigma pode conter também
       informações para a heurística que deduz o paradigma a ser utilizado nos  casos  em  que  o
       banco não contém essa informação. Segue uma descrição do formato do banco de verbos:

       S == [a-záéíóúàèìòùçãõü]+
       V == Sr
       L == [S(,S)*]
       F == L(:L)*
       T == FN|IP|PI|II|EI|MI|TI|FI|PS|IS|FS|IA|IN
       P == paradigma:V[:S]<lf>(T:F<lf>)*<lf>
       A == abundante:V:L<lf>
       B == [[P(V0*]|[A]]*

       O banco pode conter, em qualquer posição, linhas começadas com o caracter "#" ou linhas em
       branco, que são desprezadas.

       Em termos semânticos, os símbolos da gramática representam:

       S String não nula
       V Verbo
       L Lista de strings
       F Flexão num tempo ou modo
       T Nome de tempo ou modo
       P Paradigma
       A Particípio abundante
       B Banco

       O termo <lf> é uma quebra de linha. A lista de verbos que segue um dado paradigma  são  os
       verbos  que se conjugam conforme aquele paradigma. A string eventualmente dada como último
       componente na linha P é a terminação  que  heuristicamente  será  utilizada  para  decidir
       quando usar aquele paradigma (no caso de verbos que não especificam um paradigma).

REGRAS DE TRANSFORMAÇÃO DE RADICAIS

       Alguns  verbos irregulares têm o radical alterado ao longo da conjugação. Por esse motivo,
       é necessário que o programa deduza a  partir  do  paradigma  uma  regra  de  alteração  do
       radical, que será aplicada em todos os verbos que seguem aquele paradigma. Por exemplo, no
       verbo "seguir" a vogal "e" do radical é trocada por "i" em alguns casos ("eu sigo").

       O modo com que isso vem sendo  tratado  é  meramente  conhecer  de  antemão  os  tipos  de
       alterações  de  radicais,  e  codificá‐las.  Até o momento foi possível codificar todas as
       regras de modificação de radicais através de variações de uma  única  regra,  a  saber,  a
       substituição  da  última vogal do radical ou da última vogal do radical após o descarte da
       sua última letra.

       O função normaliza do script contém uma tabela de transformação de vogais que cobre  todas
       as transformações conhecidas até o momento. Na eventualidade do conjugue exibir a mensagem
       "vogal não normalizada" ao ser  iniciado,  será  necessário  incluir  uma  nova  regra  de
       substituição  de  vogais  na  função normaliza, e a sua inversa na função desnormaliza.  O
       script documenta como adicionar novas regras.

FORMAS ENCLÍTICAS

       A ênclise em alguns casos  provoca  alteração  ortográfica  do  verbo,  como  por  exemplo
       "amá‐la"  (amar+ela).  A  partir  da  versão 1.1 o conjugue possui suporte específico para
       gerar algumas dessas formas, mas isso só está ativo quando o formato de saída é "ci". Para
       maiores detalhes, cheque por favor o fonte do conjugue.

ARQUIVOS

       /usr/lib/brazilian-conjugate/verbos - banco de verbos.

       $HOME/.conjugue-novos - arquivo para apendar verbos que não constam do banco.

BUGS

       O  arquivo  no  qual  vão  sendo  apendados  verbos  novos  não  é  lido  pelo conjugue na
       inicialização.

       A ocorrência de um mesmo verbo mais de  uma  vez  no  banco  provoca  malfuncionamento  do
       programa.

       Essa  man  page  contém  caracteres  acentuados,  que  em alguns sistemas talvez não sejam
       exibidos. Para visualizá‐la corretamente, utilize um fonte  ISO  e,  se  o  groff  estiver
       disponível, tente o comando

       $ groff -Tlatin1 -man conjugue.1|more

VER TAMBÉM

       ispell(1),

AUTOR

       Ricardo Ueda Karpischek <ueda@ime.usp.br>