Provided by: man-db_2.8.7-3_amd64 bug

NOME

       lexgrog - analisa informações do cabeçalho em páginas man

SINOPSE

       lexgrog [-m|-c] [-dfw?V] [-E codificação] arquivo ...

DESCRIÇÃO

       lexgrog  é  uma  implementação  do utilitário “groff guess” tradicional em lex. Ele lê uma
       lista de arquivos em sua linha de comando como arquivos-fonte de páginas  man  ou  páginas
       “cat”  pré-formatadas,  e exibe os respectivos nomes e descrições como usado por apropos e
       whatis. A lista de filtros de pré-processamento são exigidos pela página  man  antes  dela
       ser passada para nroff ou troff, ou ambos.

       Se sua entrada estiver mal formatada, lexgrog irá imprimir “análise falhou”; isso pode ser
       útil para programas externos que precisam verificar se as páginas man estão  corretas.  Se
       um  dos  arquivos  de  entrada do lexgrog for “-”, ele lerá a partir da entrada padrão; se
       algum  arquivo  de  entrada  estiver  comprimido,  uma  versão  descomprimida  será   lida
       automaticamente.

OPÇÕES

       -d, --debug
              Emite mensagens de depuração.

       -m, --man
              Analisa  a entrada como arquivos-fontes de página man. Esse é o padrão se não forem
              fornecidas as opções --man ou --cat.

       -c, --cat
              Analisa a entrada como páginas man pré-formatadas (“páginas cat”). As opções  --man
              e --cat não podem ser fornecidas simultaneamente.

       -w, --whatis
              Exibe  o  nome  da  descrição  a  partir do cabeçalho da página man, como usado por
              apropos e whatis. Esse é o padrão se não forem fornecidas as  opções  --apropos  ou
              --whatis.

       -f, --filters
              Exibe  a  lista  de  filtros  necessários  para pré-processar a página man antes de
              formatar com nroff ou troff.

       -E codificação, --encoding codificação
              Sobrescreve o conjunto de caracteres adivinhado para a página usando codificação.

       -?, --help
              Imprime uma mensagem de ajuda e sai.

       --usage
              Imprime uma mensagem curta e sai.

       -V, --version
              Exibe informação da versão.

STATUS DE SAÍDA

       0      Execução com sucesso do programa.

       1      Erro de uso.

       2      lexgrog não conseguiu analisar um ou mais arquivos de entrada.

EXEMPLOS

         $ lexgrog man.1
         man.1: "man - uma interface para os manuais de referência on-line"
         $ lexgrog -fw man.1
         man.1 (t): "man - uma interface para os manuais de referência on-line"
         $ lexgrog -c whatis.cat1
         whatis.cat1: "whatis - exibe descrições de uma linha de páginas de manual"
         $ lexgrog broken.1
         broken.1: análise falhou

ANÁLISE COM WHATIS

       mandb (que usa o mesmo código que o lexgrog) analisa a seção NAME no topo de  cada  página
       de  manual procurando por nomes e descrições de recursos documentados em cada um. Enquanto
       o analisador é bem tolerante, já que ele tem que lidar com uma gama de  formas  diferentes
       que já se usou em algum momento, ele pode falhar em alguns casos em extrair as informações
       necessárias.

       Ao usar o conjunto tradicional de macros do man, uma seção NAME correta se parece com algo
       como isto:

              .SH NAME
              foo \- programa para fazer alguma coisa

       Alguns  paginadores  de manual exigem que ‘\-’ seja exatamente como mostrado; mandb é mais
       tolerante, mas, para que haja compatibilidade com outros sistemas, ainda é uma  boa  ideia
       reter a barra invertida.

       No  lado esquerdo, pode haver vários nomes, separados por vírgulas. Nomes contendo espaços
       em branco serão ignorados para evitar  comportamento  patológico  em  certas  seções  NAME
       malformados. O texto no lado direito é de formato livre, e pode se estendido por múltiplas
       linhas. Se vários recursos com descrições diferentes estão  sendo  documentados  na  mesma
       página de manual, então a seguinte forma é usado:

              .SH NAME
              foo, bar \- programas para fazer alguma coisa
              .br
              baz \- programas para fazer nada

       (Uma macro que se inicia com um novo parágrafo, como a .PP, pode ser usada em vez da macro
       de quebra de linha .br.)

       Ao usar o conjunto de macros do mdoc, que é derivado do BSD, uma  seção  NAME  correta  se
       parece com algo como isto:

              .Sh NAME
              .Nm foo
              .Nd programa para fazer alguma coisa

       Há vários motivos comuns pelos quais a análise com whatis falha. Alguns autores de páginas
       de manual substituem ‘.SH NAME’ com ‘.SH MEUPROGRAMA’, e, então,  mandb  não  é  capaz  de
       localizar  a  seção  a  partir  da  qual se extrairia a informação que ele precisa. Alguns
       autores incluem uma seção NAME, mas colocam um texto de forma livre ali em vez de  colocar
       em  ‘nome \- descrição’. Porém, qualquer sintaxe que se assemelhe ao mencionado acima deve
       ser aceito.

VEJA TAMBÉM

       apropos(1), man(1), whatis(1), mandb(8)

NOTAS

       lexgrog tenta analisar arquivos contendo requisições .so, mas só será capaz de fazê-lo  de
       forma correta se os arquivos estiverem instalados em uma hierarquia de páginas de manual.

AUTOR

       O código usado por lexgrog para fazer uma varredura de páginas de manual foi escrito por:

       Wilf. (G.Wilford@ee.surrey.ac.uk).
       Fabrizio Polacco (fpolacco@debian.org).
       Colin Watson (cjwatson@debian.org).

       Colin  Watson  escreveu  a  versão atual do front-end da linha de comando, assim como essa
       página de manual.