Provided by: manpages-pt_20040726-2_all bug

NOME

       mknod - cria arquivos especiais de bloco ou caracteres

SINOPSE

       mknod [opções] nome {bc} maior menor
       mknod [opções] nome p

       Opções GNU (forma reduzida): [-m mode] [--help] [--version] [--]

DESCRIÇÃO

       mknod  cria  um  FIFO (duto nomeado), arquivo especial de caractere, ou
       arquivo especial de bloco com o nome especificado.

       Um arquivo especial é um triplo (booleano, inteiro, inteiro) armazenado
       no sistema de arquivo.  O booleano escolhe entre um arquivo especial de
       caractere ou de bloco. Os dois inteiros são o maior e o menor número de
       dispositivo.

       Assim,  um arquivo especial quase não ocupa lugar no disco, e somente é
       utilizado para comunicação com o sistema  operacional,  e  não  para  a
       armazenagem  de dados. Freqüentemente arquivos especiais referem-se aos
       dispositivos de hardware (discos,  fitas,  terminais,  impressoras)  ou
       para serviços do sistema operacional (/dev/null, /dev/random).

       Arquivos  especiais  de  bloco  são como dispositivos de disco (onde os
       dados podem ser acessados dado um número de  bloco,  e  por  exemplo  é
       significante   para  termos  um  cache  de  bloco).   Todos  os  outros
       dispositivos são arquivos especial de caractere.  (Há muito tempo atrás
       a  havia  uma  distinção  entre  eles:  E/S  para o arquivo especial de
       caractere não tinha buffer, para o arquivo especial de bloco tinha.)

       O comando mknod é o qual cria arquivos deste tipo.

       O argumento seguinte ao nome especifica o tipo de arquivo a ser criado:

              p      para um FIFO

              b      para um arquivo especial de bloco (com buffer)

              c      para um arquivo especial de caractere (sem buffer)

       A versão GNU do mknod permite o sinônimo u (‘sem buffer’) para c.

       Quando  um  arquivo especial de bloco ou caractere está sendo criado, o
       maior e o menor número do dispositivo deve ser dado depois do  tipo  de
       arquivo (em decimal , ou na base octal com um 0 no começo; a versão GNU
       também permite um número hexadecimal com um 0x no começo).  Por padrão,
       o  modo  de  criação  dos  arquivos  é  0666  (‘a+rw’)  menos  os  bits
       selecionados na umask.

OPÇÕES

       -m modo, --mode=modo
              Seleciona o modo de criação de arquivos para modo, o  qual  pode
              ser  simbólico  como  em chmod(1) e então usa o modo padrão como
              ponto de partida.

OPÇÕES PADRÃO GNU

       --help Imprime a mensagem de uso na saída padrão e sai.

       --version
              Imprime a informação da versão na saída padrão e sai.

       --     Encerra a lista de opção.

DE ACORDO COM

       POSIX 1003.2 não descreve este comando como é portado e recomenda  usar
       mkfifo(1)  para  se  criar FIFOs.  SVID tem um comando /etc/mknod com a
       sintaxe citada acima, mas sem a opção modo.

NOTAS

       No   sistema   Linux   (versão   1.3.22   ou   superior)   o    arquivo
       /usr/src/linux/Documentation/devices.tex    contém    uma    lista   de
       dispositivos com o nome do dispositivo, tipo,  e  os  números  maior  e
       menor.

       Esta  página  descreve mknod como é encontrado no pacote Utilitários de
       Arquivo 4.0; outras versões  podem  ser  um  pouco  diferentes.   Envie
       correções  e  adições  para  aeb@cwi.nl.   Relatório  de  problemas  no
       programa para fileutils-bugs@gnu.ai.mit.edu.

VEJA TAMBÉM

       chmod(1), mkfifo(1), mknod(2)

TRADUZIDO POR LDP-BR em 21/08/2000.

       André L. Fassone Canova <lonelywolf@blv.com.br> (tradução) Ricardo C.O.
       Freitas <english.quest@best-service.com> (revisão)