Provided by: manpages-pt_20040726-2_all bug

NOME

       ls, dir, vdir - lista o conteúdo do diretório

SINOPSE

       ls [opes] [arquivo...]
       dir [arquivo...]
       vdir [arquivo...]

       Opções POSIX: [-CFRacdilqrtu1]

       Opções  GNU  (forma reduzida): [-1abcdfghiklmnopqrstuvwxABCDFGHLNQRSUX]
       [-w    coluna]    [-T     coluna]     [-I     modelo]     [--full-time]
       [--show-control-chars]                              [--block-size=size]
       [--format={long,verbose,commas,across,vertical,single-column}]
       [--sort={none,time,size,extension}]
       [--time={atime,access,use,ctime,status}] [--color[={none,auto,always}]]
       [--help] [--version] [--]

DESCRIÇÃO

       O  programa  ls  lista  primeiramente  seus  argumentos  que  não sejam
       arquivos de diretórios, e, então, para um argumento diretório, todos os
       arquivos  listáveis  incluídos  dentro  daquele  diretório.  Se  nenhum
       argumento de opção estiver presente, o argumento padrão ’.’  (diretório
       atual)  é  assumido.   A opção -d faz com que diretórios sejam tratados
       como arquivos.  Um arquivo é listável quando ou seu nome não inicia com
       ’.’, ou a opção -a for fornecida.

       Cada  uma  das listas de arquivos (que pertence a arquivos regulares, e
       para  cada  diretório  a  lista  interna  de   arquivos)   é   ordenada
       separadamente de acordo com a seqüência correspondente, no local atual.
       Quando a opção -l é fornecida, cada uma das listas é precedida por  uma
       linha  de  sumário  que fornece o tamanho total de todos os arquivos na
       lista, medidos em grupos de 512 bytes.

       A saída é a saída padrão, uma entrada por linha, até  que  a  saída  em
       multiplas  colunas  seja  requesitada pela opção -C. De qualquer forma,
       para saída em um terminal, em linha  simples  ou  multiplas  colunas  é
       indefinido.   As opções -1 e -C podem ser usadas para forçar a saída em
       linha simples ou em multiplas colunas, respectivamente.

OPÇÕES POSIX

       -C     Lista arquivos em colunas, ordenados verticalmente.

       -F     Sufixa o nome de cada diretório com ’/’, cada nome de  FIFO  com
              ’|’, e cada nome de executável com ’*’.

       -R     Lista os diretórios encontrados, recursivamente.

       -a     Inclue os arquivos com o nome iniciando com ’.’ na listagem.

       -c     Usa  o  status  do  tempo  de  alteração  ao  invés  do tempo de
              modificação para ordenar (com -t) ou listar (com -l).

       -d     Lista nome de  diretórios  como  arquivo,  preferencialmente  no
              lugar de seus conteúdos.

       -i     Precede  a  saída  para  o arquivo pelo número serial do arquivo
              (número do i-node).

       -l     Escreve (no formato de coluna simples)  o  modo  do  arquivo,  o
              número  de  ligações  para  o arquivo, o nome do proprietário, o
              nome do grupo, o tamanho do arquivo  (em  bytes),  o  rótulo  de
              tempo, e o nome do arquivo.

              Os  tipos de arquivos são os seguintes: - para um arquivo comum,
              d para um diretório, b para um dispositivo especial de bloco,  c
              para  um  dispositivo  especial de caractere, l para uma ligação
              simbólica, p para um FIFO, s para um socket.

              Por padrão, o  rótulo  de  tempo  exibido  é  aquele  da  última
              modificação; as opções -c e -u selecionam outros dois rótulos de
              tempo.  Para arquivos de dispositivos  especiais  o  tamanho  do
              campo  é  geralmente  substituído  pelos números de dispositivos
              maior e menor.

       -q     Mostra caracteres não imprimíveis no nome do arquivo como  ponto
              de  interrogação.  (Isto é permitido como padrão para a saída em
              um terminal.)

       -r     Inverte a ordem do ordenação.

       -t     Ordena a exibição pelo rótulo de tempo.

       -u     Use o tempo do último acesso no lugar do  tempo  de  modificação
              para ordenar (com -t) ou listar (com -l).

       -1     Para saída em coluna simples.

DETALHES GNU

       Se  a  saída  padrão  é  um  terminal,  a saída é em colunas (ordenadas
       verticalmente).

       dir (também instalado como d)  é  equivalente  a  ’ls -C -b’;  isto  é,
       arquivos  listados  em  colunas, ordenados verticalmente.  vdir (também
       instalado como v) é equivalente a ’ls -l -b’; isto é, arquivos listados
       no formato longo.

OPÇÕES GNU

       -1, --format=single-column
              Lista  um  arquivo  por  linha.  Isto  é o padrão quando a saída
              padrão não é um terminal.

       -a, --all
              Lista todos os  arquivos  nos  diretórios,  incluindo  todos  os
              arquivos começados com ’.’.

       -b, --escape, --quoting-style=escape
              Coloca  aspas  em  nomes de arquivos com caracteres não gráficos
              usando seqüencia de barra  invertida  alfabética  e  octal  como
              usado  em  C. Esta opção é como a opção -Q exceto que os nome de
              arquivos não são colocados entre duas aspas.

       -c, --time=ctime, --time=status
              Ordena os conteúdos do diretório de acordo com  os  arquivos  de
              status do tempo de alteração (o ’ctime’ no inode). Se a listagem
              em formato longo é iniciada used (-l) mostra o status  do  tempo
              de alteração ao invés do tempo de modificação.

       -d, --directory
              Lista  nomes  de  diretórios  como  arquivos,  ao  invés de seus
              conteúdos.

       -f     Não ordena os conteúdos do  diretório;  lista-os  na  ordem  que
              estão armazenados no disco.  Também ativa -a e -U e desativa -l,
              --color, -s, e -t se elas estavam especificadas antes de -f.

       -g     Ignorado; para compatibilidade com o Unix.

       -h, --human-readable
              Anexa a letra  de  tamanho,  por  exemplo  M  para  binários  de
              megabytes   (’mebibytes’),   para   cada   tamanho.    (Novo  no
              Utilitários de Arquivo 4.0.)

       -i, --inode
              Imprime o número inode  (também  chamado  de  número  serial  do
              arquivo  e  número  índice)  de cada arquivo no lado esquerdo de
              cada nome de arquivo. (Este número  identifica  unicamente  cada
              arquivo dentro de um sistema de arquivos em particular).

       -k, --kilobytes
              Se  o  tamanho  do  arquivos  vai  ser  listado,  imprime-os  em
              kilobytes.

       -l, --format=long, --format=verbose
              Adicionalmente ao nome de  cada  arquivo,  imprime  o  tipo   de
              arquivo,   permissão,   número   de  ligações  fortes,  nome  do
              proprietário, nome do grupo, tamanho em bytes, e rótulo de tempo
              (o   tempo   de   modificação   até   que  outros  tempos  sejam
              selecionados). Para arquivos com um  tempo  maior  que  6  meses
              passados  ou  com  mais  de  uma  hora futura, o rótulo de tempo
              contém o ano ao invés do dia.

              Para cada diretório que é listado,  inicia  o  arquivo  com  uma
              linha  totaldeblocos  , onde " blocos " é o total de espaço de
              disco usado por todos arquivos no diretório. Por padrão,  blocos
              de   1024   bytes   são   usados;  se  a  variável  de  ambiente
              POSIXLY_CORRECT é selecionada, blocos de 512 bytes são usados (a
              menos            que            a            opção            -k
              sejafornecida).Osblocoscomputadoscontamcadaligaoforte
              separadamente; isto é discutivelmente uma deficiência.

              As  permissões  listadas são similares às especificações de modo
              simbólico mas ls combina multiplos bits no terceiro caractere de
              cada conjunto de permissões

              s      Se  o  bit  setuid  ou setgid e o bit correspondente para
                     executáveis estão ambos selecionados.

              S      Se o bit setuid  ou  setgid  são  selecionados  e  o  bit
                     correspondente para executáveis não é selecionado.

              t      Se  o  bit  contrário e o bit de outros executáveis estão
                     ambos selecionados.

              T      Se o bit contrário  é  selecionado  e  o  bit  de  outros
                     executáveis não é selecionado.

              x      Se  o bit para executáveis é selecionado e nada dos acima
                     citados é aplicado.

              -      De outra forma.

       -m, --format=commas
              Lista os arquivos horizontalmente, com muitos  ajustes  em  cada
              linha, cada um separado por vírgula e um espaço.

       -n, --numeric-uid-gid
              Lista  a  identificação  numérica de usuário e de grupo ao invés
              dos nomes.

       -o     Produz listas em formato longo, mas  não  exibe  informações  de
              grupo.   Isto  é equivalente ao uso de --format=long --no-group.
              Esta opção é fornecida para compatibilidades com outras  versões
              do ls.

       -p, --file-type, --indicator-style=file-type
              Anexa um caractere para cada nome de arquivo indicando o tipo de
              arquivo. Isto é como -F exceto que executáveis não são marcados.
              (Na realidade o Utilitários de Arquivo 4.0 trata a opção --file-
              type como --classify.)

       -q, --hide-control-chars
              Imprime  pontos  de  interrogação  ao  invs  de  caracteres  não
              gráficos no nome de arquivo. Isto é o padrão.

       -r, --reverse
              Ordena os conteúdos do diretório na ordem inversa.

       -s, --size
              Imprime  o  tamanho  de  cada arquivo em blocos de 1024 bytes no
              lado esquerdo do nome de arquivo.  Se  a  variável  de  ambiente
              POSIXLY_CORRECT é selecionada, blocos de 512 bytes são usadas ao
              invés de, a menos que a opção -k seja fornecida.

       -t, --sort=time
              Ordena pelo tempo de modificação (o ’mtime’ no inode)  ao  invés
              de  alfabeticamente , com o nome do arquivo mais recente listado
              primeiramente.

       -u, --time=atime, --time=access, --time=use
              Ordena o conteúdo do diretório de acordo  com  tempo  do  último
              acesso do arquivo ao invés do tempo de modificação (o ’atime’ no
              inode). Se na listagem em formato longo  é  inicialmente  usada,
              imprime  o  tempo  do  último  accesso  no  lugar  do  tempo  de
              modificação.

       -v     Ordena o conteúdo  do  diretório  de  acordo  com  a  versão  do
              arquivo.  Isto  leva  em  conta  o  fato de que nome de arquivos
              freqüentemente incluem índices ou  números  de  versão.  Funções
              padrão  de  ordenamento  usualmente  não  produzem a ordem que o
              pessoal espera por causa da semelhança encontrada entre bases de
              caracteres.  A  versão  ordena  este problema, e é especialmente
              útil quando navegando por diretórios que contém muitos  arquivos
              com números de índices/versão em seus nomes. Por exemplo:

                   > ls -1            > ls -1v
                   foo.zml-1.gz       foo.zml-1.gz
                   foo.zml-100.gz     foo.zml-12.gz
                   foo.zml-12.gz      foo.zml-25.gz
                   foo.zml-25.gz      foo.zml-100.gz

              Note  também  que partes numéricas são iniciadas com zeros e são
              consideradas como fracionária:

                   > ls -1            > ls -1v
                   abc-1.007.tgz      abc-1.007.tgz
                   abc-1.012b.tgz     abc-1.01a.tgz
                   abc-1.01a.tgz      abc-1.012b.tgz

              (Novo no Utilitários de Arquivo 4.0.)

       -w, --width cols
              Assume a tela com largura de coluna colunas.  O  padrão  é  dado
              pelo  driver  de terminal se possível; de outra forma a variável
              de ambiente COLUMNS é usada se  estiver  selecionada;  de  outra
              forma o padrão é 80.

       -x, --format=across, --format=horizontal
              Lista os arquivos em colunas, ordenados horizontalmente.

       -A, --almost-all
              Lista todos os arquivos nos diretórios, exceto os ’.’ e ’..’.

       -B, --ignore-backups
              Não  lista  arquivos  que  terminam  com  ’~’, a menos que sejam
              fornecidos na linha de comando.

       -C, --format=vertical
              Lista os arquivos em colunas, ordenados verticalmente. Isto é  o
              padrão se a saída padrão é um terminal. É sempre padrão para dir
              e d.

       -D, --dired
              Com listagem em formato longo (-l) , imprime uma linha adicional
              depois da saída principal:
              //DIRED// BEG1 END1 BEG2 END2 ...

              Os  BEGn and ENDn são inteiros sem sinal que registram o byte de
              posicionamento do início e do  fim  de  cada  um  dos  nomes  de
              arquivos  na  saída.  Isto facilita para o Emacs achar os nomes,
              até quando eles contém caracteres não  usuais  como  espaços  ou
              início de linha, sem pesquisa especial.

              Se  a listagem de diretórios é iniciada de forma recursiva (-R),
              sai uma linha parecida depois de cada sub-diretório:
              //SUBDIRETÓRIO// BEG1 END1 ...

       -F, --classify, --indicator-style=classify
              Anexa um caractere para cada nome de arquivo indicando o tipo do
              arquivo.  Para  arquivos regulares que são executáveis, anexa um
              ’*’. O tipos de indicadores de arquivos são ’/’ para diretórios,
              ’@’ para ligações simbólicas, ’|’ para FIFOs,

       -G, --no-group
              Inibe a exibição da informação do grupo na listagem de diretório
              em formato longo.

       -H, --si
              Como em -h, mas usa a unidade oficial do  SI  (com  potência  de
              1000 no lugar de 1024, de forma que M significa 1000000 ao invés
              de 1048576).  (Novo no Utilitários de Arquivo 4.0.)

       -I, --ignore=modelo
              Não  lista  arquivos  com  nomes  combinando  com  o  modelo  do
              interpretador  de comandos (não é expressão regular) a menos que
              eles sejam fornecidos na linha de comando. Como no interpretador
              de  comando,  um ’.’ inicial no nome do arquivo não é comparável
              com um caractere coringa no início do modelo.

       -L, --dereference
              Lista  a  informação  do  arquivo  correspondendo  as   ligações
              simbólicas referentes no lugar das próprias ligações.

       -N, --literal
              Não coloca aspas no nome do arquivo.

       -Q, --quote-name, --quoting-style=c
              Confina  o  nome  do arquivo em aspas duplas e os caracteres não
              gráficos entre aspas como no C.

       -R, --recursive
              Lista o conteúdo de todos diretórios de forma recursiva.

       -S, --sort=size
              Ordena o conteúdo do diretório pelo tamanho do arquivo no  lugar
              de  ordem alfabética, com os maiores arquivos listados primeiro.

       -T, --tabsize cols
              Assume que cada  marca  de  tabulação  é  uma  largura  de  cols
              colunas.  O  padrão  é 8 e pode ser sobrescrita pela variável de
              ambiente TABSIZE quando POSIXLY_CORRECT não está  definido.   ls
              usa  a  tabulação  quando possível na saída, para eficiência. Se
              cols é zero, não se usa tabulação.

       -U, --sort=none
              Não ordena o conteúdo do diretório; lista-os na ordem que  estão
              armazenados  no  disco.   (A  diferença  entre  -U  e -f é que o
              anterior não desativa ou ativa  opções.)  Isto  é  especialmente
              útil  quando  listamos  diretórios muitos grandes, desde que não
              fazendo que  qualquer  ordenação  possa  ser  notavelmente  mais
              rápida.

       -X, --sort=extension
              Ordena  o conteúdo do diretório alfabeticamente pela extensão do
              arquivo (caractere depois do último ’.’); arquivos sem  extensão
              são ordenados primeiramente.

       --block-size=size
              Imprime  o  tamanho  em  blocos  de  tamanho  bytes.   (Novo  no
              Utilitários de Arquivo 4.0.)

       --color[=when]
              Especifica a cor que será usada  para  distinguir  os  tipos  de
              arquivo.   Cores são especificadas usando a variável de ambiente
              LS_COLORS.  Para informação sobre como selecionar esta variável,
              veja dircolors(1).  quando pode ser omitido , ou um dos:

              none   Não usa cores. Isto é o padrão.

              auto   Somente usa cores se a saída padrão é um terminal.

              always Sempre  usa  cores.  Especificando  --color  e não when é
                     equivalente a --color=always.

       --full-time
              Lista o tempo completo, em detrimento  a  abreviação  padrão.  O
              formato  é como no padrão date(1) ; não é possível alterar isto,
              mas você pode extrair a cadeia de caracteres da data com  cut(1)
              e passar o resultado para ’date -d’.

              Isto  é  muito útil por que o tempo na saída inclui os segundos.
              (O sistema de arquivo do Unix armazena  o  rótulo  de  tempo  do
              arquivo somente para os segundos mais próximos, assim esta opção
              mostra todas as informações existentes). Por exemplo, isto  pode
              ajudar  quando  você  tem  um Makefile que não regenera arquivos
              adequadamente.

       --quoting-style=word
              Usa o estilo word para colocar aspas nos nomes da saída. A  word
              pode ser uma das seguintes:

              literal
                     Saída  de  nomes como é. Isto é o comportamento padrão de
                     ls.

              shell  Colocar aspas nos nomes para o interpretador de  comandos
                     se  eles  contém  meta  caracteres  do  interpretador  de
                     comandos ou que causaria saída ambígua.

              shell-always
                     Coloca aspas nos nomes para o interpretador de  comandos,
                     mesmo se eles normalmente não requereriam aspas.

              c      Coloca  aspas nos nomes como nas cadeias de caracteres da
                     linguagem C; isto é igual a opção -Q

              escape Coloca aspas como o c exceto que omite as aspas duplas ao
                     redor; isto é igual a opção -b

              Um  valor  padrão  para  esta  opção pode ser especificada com a
              variável de ambiente QUOTING_STYLE. (Veja AMBIENTE abaixo.)

       --show-control-chars
              Imprime caracteres não gráficos como no nome do arquivo. Isto  é
              o  padrão a menos que a saída seja um terminal e o programa seja
              ls.

OPÇÕES PADRÃO GNU

       --help Imprime a mensagem de uso na saída padrão e sai.

       --version
              Imprime a versão na saída padrão e sai.

       --     Encerra a lista de opção.

AMBIENTE

       A variável POSIXLY_CORRECT determina a escolha da unidade.  Se ela  não
       é fixada, então a variável TABSIZE determina o número de caracteres por
       tabulação.  A variável COLUMNS (quando contém  a  representação  de  um
       decimal  inteiro) determina a largura da coluna de saída (para usar com
       a opção -C). O nome do arquivos não devem ser truncados para  torná-los
       adequados à saída em múltiplas colunas.

       As variáveis LANG, LC_ALL, LC_CTYPE e LC_MESSAGES têm seus significados
       usuais.  A variável TZ fornece  a  zona  de  tempo  para  a  cadeia  de
       caracteres  de tempo escrita por ls.  A variável LS_COLORS é usada para
       especificar as cores usadas.

       A variável QUOTING_STYLE é usada para especificar o valor padrão para a
       opção  --quoting-style  literal, embora os autores advertissem que este
       padrão pode mudar para shell em qualquer versão futura de ls.

PROBLEMAS

       Em sistemas BSD, a opção -s  relata  tamanhos  que  são  a  metade  dos
       valores  corretos  para arquivos que são montados de sistemas HP-UX via
       NFS. Em sistemas HP-UX, ls relata tamanhos que são duas  vezes  maiores
       que  os valores corretos para arquivos que são montados de sistemas BSD
       via NFS. Isto é devido a uma falha no HP-UX; e também afeta o  programa
       ls do HP-UX.

DE ACORDO COM

       POSIX 1003.2

VEJA TAMBÉM

       dircolors(1)

NOTAS

       Esta  página  descreve  ls  como  é encontrada no pacote Utilitários de
       Arquivo 4.0; outras versões  podem  ser  um  pouco  diferentes.   Envie
       correções  e  adições  para  aeb@cwi.nl.   Relatório  de  problemas  no
       programa para fileutils-bugs@gnu.ai.mit.edu.

TRADUZIDO POR LDP-BR em 21/08/2000.

       André L.  Fassone  Canova  <lonelywolf@blv.com.br>  (tradução)  Roberto
       Selbach Teixeira <robteix@zaz.com.br> (revisão)