Provided by: net-tools_1.60-23ubuntu1_i386 bug

NOME

       netstat  - Mostra conexões de rede, tabelas de roteamento, estatísticas
       de interface e conexões mascaradas.

SINOPSE

       netstat  [-venaoc]   [--tcp|-t]   [--udp|-u]   [--raw|-w]   [--unix|-x]
       [--inet|--ip] [--ax25] [--ipx] [--netrom]

       netstat   [-veenc]   [--inet]   [--ipx]   [--netrom]  [--ddp]  [--ax25]
       {--route|-r}

       netstat [-veenac] {--interfaces|-i} [iface]

       netstat [-enc] {--masquerade|-M}

       netstat {--statistics|-s}

       netstat {-V|--version} {-h|--help}

DESCRIÇÃO

       netstat mostra informações do subsistema de rede do Linux.

   (sem opções)
       Você pode ver o estado das conexões de rede  através  da  listagem  dos
       sockets  abertos.  Esta  é  a  operação padrão: se você não especificar
       nenhuma família de endereços, os sockets ativos de todas as famílias de
       endereços  configuradas serão mostrados. Com -e você obterá informações
       adicionais (userid). Com a chave -v você poderá fazer com que o netstat
       reclame sobre famílias de endereços conhecidas que não sejam suportadas
       pelo kernel. A opção -o mostra  algumas  informações  adicionais  sobre
       temporizadores  de rede.  -a mostra todos os sockets, incluindo sockets
       de servidores. A família de endereços inet mostrará sockets raw, udp  e
       tcp.

   -r, --route
       Com  a opção -r, --route você obterá as tabelas de roteamento do kernel
       no mesmo formato usado por route -e.  netstat -er usará  o  formato  de
       apresentação  do  comando  route.  Por favor veja route(8) para maiores
       detalhes.

   -i, --interfaces iface
       Se você usar a opção -i, --interfaces , uma  tabela  de  todas  (ou  da
       iface  especificada) as interfaces de rede será mostrada. A saída usa o
       formato ifconfig -e  ,  e  é  descrita  em  ifconfig(8).   netstat  -ei
       mostrará  uma  tabela ou uma entrada de interface como ifconfig mostra.
       Com a  chave  -a  ,  você  pode  incluir  interfaces  que  não  estejam
       configuradas (i.e. não tem a flag U=UP configurada).

   -M, --masquerade
       Uma  lista  de todas as sessões mascaradas também pode ser vista. Com a
       chave -e você pode incluir mais  algumas  informações  sobre  numeração
       sequencial  e  deltas , causados por reescritas de dados em sessões FTP
       (comando PORT).   O  suporte  a  mascaramento  é  usado  para  esconder
       máquinas  em  endereços  de  rede  não oficiais do resto do mundo, como
       descrito em ipfw(4),ipfwadm(8) e ipfw (8).

   -s, --statistics
       Mostra estatísticas sobre o subsistema de rede do kernel do Linux,  que
       são lidas a partir de /proc/net/snmp.

OPÇÕES

   -v, --verbose
       Informa ao usuário o que está ocorrendo, sendo detalhado. Especialmente
       mostra algumas  informações  úteis  sobre  famílias  de  endereços  não
       configuradas.

   -n, --numeric
       Mostra  endereços  numéricos,  sem tentar resolver os nomes da máquina,
       porta ou usuário.

   -A, --af famlia
       Usa um método diferente  para  configurar  as  famílias  de  endereços.
       famlia  é  uma  lista  de  palavras-chave  de  famílias  de  endereços
       separadas por vírgulas (’,’) como inet, unix, ipx, ax25, netrom e  ddp.
       Tem  o  mesmo  efeito  de  usar as opções longas --inet, --unix, --ipx,
       --ax25, --netrom e --ddp.

   -c, --continuous
       Isto fará com que netstat mostre a tabela selecionada a  cada  segundo,
       continuamente na tela até que você o interrompa.

SAÍDA

   Conexões Internet Ativas (TCP, UDP, RAW)
   Proto
       O protocolo (tcp, udp, raw) usado pelo socket.

   Recv-Q
       O contador de bytes não copiados pelo programa conectado a este socket.

   Send-Q
       O contador de bytes não confirmados pela máquina remota.

   Endereço Local
       O endereço local (nome da máquina local) e o numero da porta do socket.
       A  menos  que  a  chave  -n seja especificada o endereço do socket será
       resolvido para seu nome de máquina canônico e o número  da  porta  será
       traduzido para o serviço correspondente.

   Endereço Remoto
       O  endereço  remoto  (nome  da  máquina  remota) e o número da porta do
       socket. Como com o endereço local, a chave -n desliga  a  resolução  do
       nome da máquina e do serviço.

   Estado
       O  estado  do  socket.  Uma  vez  que não existem estados no modo RAW e
       normalmente nenhum estado é usado em UDP, esta linha pode  ser  deixada
       em branco. Normalmente ele pode assumir um de vários valores:

       ESTABELECIDO
              O socket tem uma conexão estabelecida.

       SYN_SENT
              O socket está ativamente tentando estabelecer uma conexão.

       SYN_RECV
              Uma requisição de conexão foi recebida da rede.

       FIN_WAIT1
              O socket está fechado e a conexão está terminando.

       FIN_WAIT2
              A  conexão  está  fechada  e  o  socket  está  esperando por uma
              terminação pela máquina remota.

       TIME_WAIT
              O socket está esperando após o fechamento para tratar os pacotes
              ainda na rede.

       FECHADO
              O socket não está sendo usado.

       CLOSE_WAIT
              O lado remoto terminou, esperando pelo fechamento do socket.

       LTIMO_ACK
              O  lado  remoto terminou, e o socket está fechado. Esperando por
              uma confirmação.

       OUVINDO
              O socket está ouvindo por conexões.  Estes  socket  são  somente
              mostrados se a chave -a,--listening for especificada.

       FECHANDO
              Ambos  os  sockets  estão  terminados mas nós ainda não enviamos
              todos os nossos dados.

       DESCONHECIDO
              O estado do socket é desconhecido.

   Usuário
       O nome ou UID do dono do socket.

   Temporizador
       (precisa ser escrito)

   UNIX domain sockets Ativos
   Proto
       O protocolo (normalmente unix) usado pelo socket.

   CntRef
       O contador de referências (i.e. processos conectados via este  socket).

   Flags
       As flags mostradas são SO_ACCEPTON (mostrada como ACC), SO_WAITDATA (W)
       ou SO_NOSPACE (N).  SO_ACCECPTON é usada para sockets não-conectados se
       seus  processos correspondentes estiverem esperando por uma solicitação
       de conexão. As demais flags não são de interesse comum.

   Tipos
       Há diversos tipos de acesso a sockets:

       SOCK_DGRAM
              O socket é usado no modo de Datagramas (sem conexão).

       SOCK_STREAM
              É um socket usado quando há conexões (stream socket).

       SOCK_RAW
              É usado como o socket básico (raw socket).

       SOCK_RDM
              Este é usado para confirmação de entrega de mensagens.

       SOCK_SEQPACKET
              É um socket para um pacote sequencial.

       SOCK_PACKET
              Socket para acesso da interface BÁSICA.

       UNKNOWN
              Quem sabe o que nos trará o futuro? Preencha aqui :-)

   Estados
       Este campo conterá uma das seguintes palavras-chave:

       FREE   Este socket não está alocado.

       LISTENING
              O socket está aguardando por uma  solicitação  de  conexão.  São
              mostrados apenas se as opções -a,--listening forem selecionadas.

       CONNECTING
              O socket está por estabelecer uma conexão.

       CONNECTED
              O socket está conectado.

       DISCONNECTING
              O socket está desconectado.

       (nada) O socket não está conectado a nenhum outro.

       UNKNOWN
              Isto não deve acontecer nunca.

   Path
       Mostra o caminho (path) do processo do qual está tratando esse  socket.

   Sockets IPX ativos
       (Isso precisa ser feito por alguém que saiba fazê-lo.)

   Sockets NET/ROM ativos
       (Isso precisa ser feito por alguém que saiba fazê-lo.)

   Sockets AX.25 ativos
       (Isso precisa ser feito por alguém que saiba fazê-lo.)

NOTAS

       Desde  o  kernel 2.2 o netstat -i não mostra estatísticas para apelidos
       (aliases) de interfaces. Para obter contadores por apelido de interface
       você  precisa  configurar  regras  explícitas  usando  o  comando  +.BR
       ipchains(8)

FILES

       /etc/services -- O arquivo de "tradução" (correspondência) entre socket
       e serviço.

       /proc/net/dev -- Informações de dispositivos.

       /proc/net/snmp -- Estatísticas da rede.

       /proc/net/raw -- Informação sobre o socket BÁSICO (RAW).

       /proc/net/tcp -- Informação sobre o socket TCP.

       /proc/net/udp -- Informação sobre o socket UDP.

       /proc/net/unix -- Informação sobre o socket de domínio Unix.

       /proc/net/ipx -- Informação sobre o socket IPX.

       /proc/net/ax25 -- Informação sobre o socket AX25.

       /proc/net/appletalk -- Informação sobre o socket DDP (Appletalk).

       /proc/net/nr -- Informação sobre o socket NET/ROM.

       /proc/net/route  --  Informação sobre os roteamentos IP realizados pelo
       kernel

       /proc/net/ax25_route -- Informação sobre os roteamentos AX25 realizados
       pelo kernel

       /proc/net/ipx_route  --  Informação sobre os roteamentos IPX realizados
       pelo kernel

       /proc/net/nr_nodes -- Lista de nós NET/ROM do kernel

       /proc/net/nr_neigh -- "Vizinhos" NET/ROM do kernel

       /proc/net/ip_masquerade -- Conexões mascaradas do kernel

VEJA TAMBÉM

       route(8), ifconfig(8), ipfw(4), ipfw(8), ipfwadm(8) ipchains(8)

BUGS

       Ocasionalmente informações estranhas podem surgir se  um  socket  mudar
       enquanto é visualizado. Isso é incomum.
       As  opções  descritas  para  netstat  -i  foram  descritas como deverão
       funcionar após alguma limpeza da liberação BETA do pacote net-tools.

AUTORES

       A  interface  com  o  usuário   foi   escrita   por   Fred   Baumgarten
       <dc6iq@insu1.etec.uni-karlsruhe.de>  a página do manual basicamente por
       Matt  Welsh  <mdw@tc.cornell.edu>.  Foi   atualizada   por   Alan   Cox
       <Alan.Cox@linux.org>  mas  poderia  ter sido feita com um pouco mais de
       trabalho.

       A página do manual e os comandos incluídos no  pacote  net-tools  foram
       totalmente reescritos desde Bernd Eckenfels <ecki@linux.de>.

TRADUÇÃO E REVISÃO PARA PORTUGUÊS

       Traduzido   para   o   português   por   Arnaldo   Carvalho   de   Melo
       <acme@conectiva.com.br>     e     Jorge      Luiz      Godoy      Filho
       <jorge@bestway.com.br>.