Provided by: emdebian-rootfs_2.0.4_all bug

NAME

       emsandbox - criar sistemas de ficheiros raiz Emdebian

SYNOPSIS

       emsandbox [[-a] | [--arch] ARQUITECTURA] [[--create] | [create]] [[[-s]
                 | [--script]] NOME DE FICHEIRO] [[-S] | [--suite] NOME]
                 [[--machine-path]CAMINHO] [[-m] | [--machine] NOME [[-v] |
                 [--variant] NOME]]

INTERPRETADORES DE SHELL

       emsandbox é código bash e usa embootstrap o qual é código bash e também
       executa código do pbuilder o qual é também código bash.  debootstrap
       re-executa-se a si próprio com a shell predefinida e depois tenta
       executar o conjunto de scripts o qual falha porque a copia re-executada
       do debootstrap está agora a correr sob a shell predefinida, e não sob
       bash.

       Este problema pode aparecer como uma falha dentro do debootstrap

           I: Recuperando zlib1g
           I: Validando zlib1g

       A próxima linha deverá ser:

           I: Extraindo base-passwd...

       Infelizmente, isto é resultado do shell interpretador em Debian ter
       sido alterado depois dos scripts serem criados e não é um problema
       trivial. Actualmente não é possível para o embootstrap poder migrar
       para cdebootstrap.

       A única solução corrente é alterar a sua shell predefinida para
       /bin/bash dentro do ambiente que corre emsandbox.

DESCRIÇÃO

       emsandbox suporta geração personalizada de sistemas de ficheiros raiz
       básicos a partir de pacotes Emdebian compilados para outra plataforma,
       prontos para desempacotar e configurar no dispositivo embebido.

       Note que emsandbox não suporta todas as opções disponíveis para
       debootstrap. Algumas das opções do debootstrap que são suportadas são
       implementadas como ficheiros de configuração específicos de máquina no
       seu directório de trabalho Emdebian. (veja --machine e
        --variant.)

       emsandbox é um wrapper para debootstrap para preparar um sistema de
       ficheiros raiz Emdebian, usando pacotes Emdebian e uma chroot nativa
       via 'debootstrap --foreign' e código do pbuilder.

       O rootfs Emdebian, conforme gerado por emsandbox não está totalmente
       configurado - os pacotes estão desempacotados e certos ficheiros de
       suporte estão criados mas nenhum dos pacotes está configurado (nem
       mesmo os scripts de pré-instalação). Esta última etapa é o único
       processo que tem de ser corrido no próprio dispositivo antes do
       primeiro arranque, usando o script emsecondstage o qual necessita de um
       ambiente chroot funcional. Tipicamente, emsecondstage é corrido a
       partir de algum tipo de ambiente de bootloader mínimo que tem suporte
       suficiente para montar subsistemas como o proc e sistemas de ficheiros
       como a partição do sistema de ficheiros raiz e pode fazer chroot para o
       sistema de ficheiros raiz. Este método representa que a maioria do
       trabalho de criação do sistema de ficheiros raiz pode ser feito na
       máquina de compilação.

       O tarball criado por emsandbox deve ser copiado para o dispositivo de
       destino e desempacotado usando:

           # cd /mnt/target/dir
           # tar -xzpf emdebian-arm.tgz

       Imediatamente após desempacotar, inicie a configuração do pacote ao
       executar ./emsecondstage no dispositivo de destino. (A configuração
       envolve executar os binários de multi-plataforma e é a única parte do
       processo que precisa ser executada no dispositivo de destino.)

       emsecondstage deve sempre ser executado a partir do directório em que
       foi instalado.

           # ./emsecondstage

COMANDOS

       --create|create
           Executa debootstrap --foreign com um conjunto de regras modificado
           para criar uma rootfs Emdebian básica.

           Verifica por uma chroot existente e termina se encontrar uma.

       -h|--help
           mostra a mensagem de utilização e termina.

       --version
           mostra a mensagem de utilização e termina.

OPÇÕES

       -a|--arch ARQUITECTURA
           Sobrepõe a arquitectura predefinida do dpkg-cross para esta
           operação na chroot.

       -s|--script NOME DE FICHEIRO
           Sobrepõe a selecção de pacotes predefinida e script de instalação
           com um conjunto de scripts personalizados do debootstrap (escritos
           em shell e compatíveis com qualquer interpretador shell que seja
           instalado no destino).

           Alguns scripts personalizados são disponibilizados com
           emdebian-tools. A predefinição usa o pacote 'busybox' Emdebian
           standard com 'dpkg' e 'apt'. Scripts de substituição precisam de
           ser um conjunto total de scripts de shell do debootstrap que
           especifiquem como completar as instalações de primeiro e segundo
           estágio.

           Pacotes de scripts personalizados com emdebian-tools incluem
           scripts para um sistema de ficheiros raiz incluindo libgtk2.0-0 e
           um sistema de ficheiros raiz GPE completo.

       --machine-path  CAMINHO
           Sobrepõe o caminho predefinido para a máquina e configuração de
           variantes. Por predefinição, emsandbox usa ${WORK}/machine onde
           $WORK é o directório de trabalho especificado para emdebian-tools
           durante a configuração debconf. O caminho especificado tem que já
           existir e conter a configuração packages.conf relevante assim como
           os scripts shell setup.sh e config.sh (os quais podem estar
           vazios).

           Exemplos de packages.conf, setup.sh e config.sh estão em
           /usr/share/doc/emdebian-rootfs/examples/

       -m|--machine MQUINA
           Carrega dados de configuração específicos da máquina a partir do
           seu directório funcional Emdebian. Se nenhuma variante for
           especificada, a configuração é lida de
           $WORK/machine/$MACHINE/default/ onde $WORK é o directório de
           trabalho especificado em debconf para emdebian-tools.

       -v|--variant VARIANTE
           Carrega dados de configuração específicos da variante a partir do
           seu directório funcional Emdebian. Requer --machine. Os dados de
           configuração são lidos de $WORK/machine/$MACHINE/$VARIANT/ onde
           $WORK é o directório de trabalho especificado em debconf para
           emdebian-tools.

       -S|--suite NOME
           Sobrepõe o conjunto predefinido [unstable] e especifica outro
           conjunto suportado. Note que se o repositório Emdebian for usado, o
           conjunto escolhido tem de ser um nome de conjunto Emdebian/Debian
           normal a partir de 'unstable, testing ou sid', ou um nome de código
           de lançamento Debian para um lançamento incluindo, ou posterior, ao
           lenny. Nenhum outro nome de conjunto é suportado em Emdebian.

           O conjunto seleccionado é definido no sistema de ficheiros raiz
           como o conjunto predefinido para o apt usar quando procurar por
           actualizações.

VARIANTES DE MáQUINA

       emsandbox suporta um conjunto de rotinas de personalização para cada
       combinação de máquina e variante, permitindo que a rootfs seja
       personalizada a variantes especificas de uma máquina especifica. Os
       dados de configuração são guardados no sub-directório machine do seu
       directório de trabalho Emdebian. Usando a opção -m em emsandbox carrega
       packages.conf a partir do sub-directório $WORK/machine/$MACHINE/default
       antes de arrancar o debootstrap. Assim que o primeiro estágio de
       instalação estiver completo, o emsandbox chama setup.sh a partir do
       mesmo directório, passando a localização e arquitectura do tarball,
       para que outras afinações possam tomar lugar antes de criar o tarball.
       Neste estágio, quaisquer operações dentro da rootfs não devem tentar
       executar nenhuns binários dentro da rootfs. Imediatamente antes da
       criação do tarball, o config.sh é copiado para o directório
       /machine/$MACHINE/default/ da rootfs, pronto a ser chamado quando o
       emsecondstage tiver completado o segundo estágio do processo
       debootstrap.

       Versões modelo de packages.conf, setup.sh e config.sh estão disponíveis
       em /usr/share/emdebian-tools/machine/.

       packages.conf é destinado a ser o ponto principal para ajustar o
       tarball do emsandbox para servir as necessidades das variantes
       específicas da máquina.  setup.sh e config.sh podem afinar os
       resultados mas de modo a evitar reinventar a roda, se mais do que
       poucas máquinas precisarem de ajustes semelhantes aos mesmos ficheiros,
       futuras versões do packages.conf irão reunir esses em um único
       parâmetro de configuração disponível para todos.

       packages.conf suporta:

       INCLUDE
           Adiciona uma lista de nomes de pacotes, separados por vírgulas, à
           lista de pacotes adicionada ao tarball e instalados no segundo
           estágio. Actualmente, o debootstrap tem problemas com múltiplos
           repositórios portanto ou envie este pacote para o mesmo repositório
           dos outros pacotes ou crie um apt-proxy que possa servir como um
           repositório local, defina-o em PROXY e especifique um mirror
           utilizável para o dispositivo em MIRROR.

           PREDEFINIÇÃO: vazio

       SCRIPT
           Sobrepõe o conjunto-script predefinido do emsandbox que o
           debootstrap usa para determinar a base e pacotes necessários e a
           sequência muito importante em que os pacotes podem ser instalados.
           SCRIPT pode ser sobreposto na linha de comandos do emsandbox.

           PREDEFINIÇÃO: /usr/share/emdebian-tools/emdebian.crossd

       MIRROR
           Sobrepõe o mirror predefinido do emsandbox. Este repositório irá
           ser definido em /etc/apt/sources.list e irá também ser usado pelo
           debootstrap para obter todos os pacotes para o tarball a menos que
           PROXY esteja também definido.

           PREDEFINIÇÃO: http://www.emdebian.org/crush/

       PROXY
           Especifica um repositório separado para passar ao debootstrap que
           pode ser local ou de outro modo não destinado a ser usado assim que
           o tarball esteja instalado. Use MIRROR para definir o mesmo valor
           em debootstrap e /etc/apt/sources.list. Se PROXY for especificado
           sem MIRROR, o MIRROR predefinido do emsandbox
           (http://buildd.emdebian.org/emdebian/) será escrito em
           /etc/apt/sources.list.

           PREDEFINIÇÃO: vazio

       TARBALL_NAME
           Sobrepõe o nome predefinido (emdebian-$ARCH) do tarball. Não
           especifique um caminho aqui, apenas o nome do ficheiro com a
           extensão .tgz.

           PREDEFINIÇÃO: emdebian-$ARCH.tgz onde $ARCH é especificada ao
           emsandbox ou como a arquitectura predefinida do dpkg-cross.

       SUITE
           Sobrepõe o conjunto predefinido [unstable] e especifica outro
           conjunto suportado. Note que se o repositório Emdebian for usado, o
           conjunto escolhido tem de ser um nome de conjunto Emdebian/Debian
           normal a partir de 'unstable, testing ou sid', ou um nome de código
           de lançamento Debian para um lançamento incluindo, ou posterior, ao
           lenny. Nenhum outro nome de conjunto é suportado em Emdebian.

           O conjunto seleccionado é definido no sistema de ficheiros raiz
           como o conjunto predefinido para o apt usar quando procurar por
           actualizações.

           Não recomendado a ser alterado.

           PREDEFINIÇÃO: unstable

       Devido a limitações no suporte do corrente debootstrap, a única forma
       de adicionar pacotes ao primeiro estágio é disponibilizando um conjunto
       personalizado de scripts. Mesmo que emsandbox migre para usar uma
       ferramenta de Stag para superar insuficiências no debootstrap, o
       suporte para packages.conf, setup.sh e config.sh irá permanecer.

AUTOMATIZANDO COMPILAçõES DE ROOTFS

       Tendo em conta que você está a tentar compilar um sistema de ficheiros
       raiz para uma arquitectura suportada dentro de Debian, emdebian-tools
       pode ajudá-lo a automatizar as compilações dos pacotes. Veja
       em_autobuild (1)

VARIáVEIS DA SHELL

       Note que o programa chroot do coreutils de Debian espera que você
       queira a mesma shell ser usada tanto fora como dentro da chroot.
       Tipicamente a shell predefinida de Debian em /etc/passwd é bash a qual
       não está presente no Emdebian rootfs, portanto o chroot precisa da
       opção /bin/sh.

FICHEIROS

       A maioria das emdebian-tools usam dados de configuração de apt-cross e
       de dpkg-cross.  emsource e emsandbox também suportam configuração
       usando debconf para definir um nome de utilizador de subversion e o
       directório de trabalho predefinido (no qual se deve poder escrever)
       para desempacotar as fontes descarregadas. Os valores debconf
       predefinidos podem ser sobrepostos com valores específicos do
       utilizador usando ~/.apt-cross/emsource ou ~/.apt-cross/emsandbox
       respectivamente.

   /etc/emsandbox.conf
       Ficheiro de configuração de todo o sistema gerido por debconf que
       controla o desempacotamento de arquivos fonte para um directório de
       trabalho predefinido. Também pode incluir uma definição de nome de
       utilizador de subversion, destinado a instalações de único utilizador.
       As definições de /etc/emsandbox.conf podem ser sobrepostas numa base de
       "por utilizador" ao copiar o ficheiro actual para
       ~/.apt-cross/emsandbox e editando os seus valores.

       Podem ser definidas duas variáveis (veja também /etc/emsandbox.conf):

       ·   workingdir: Uma simples localização predefinida para emsandbox
           criar uma árvore fonte para descarregar e desempacotar pacotes
           binários pré-compilados. Se for deixado em vazio, é usada uma nova
           árvore de directórios de nível de topo mas isto é destinado apenas
           para suporte do chroot.

       ·   targetsuite: Emdebian segue a Debian ao predefinir compilar contra
           unstable. Esta definição determina as versões de bibliotecas e
           pacotes linkados contra os pacotes emdebian de multi-plataforma.

   ~/.apt-cross/emsandbox
       Versão específica do utilizador de /etc/emsandbox.conf, que suporta as
       mesmas variáveis para disponibilizar sobreposições específicas de
       utilizador.

AUTOR

       emsandbox foi escrito por Neil Williams codehelp@debian.org.

       Este manual foi escrito por Neil Williams codehelp@debian.org e
       traduzido para Português por Américo Monteiro a_monteiro@netcabo.pt

VEJA TAMBÉM

       Veja também apt-cross (1), em_make (1), dpkg-cross (1), emdebian-tools
       (1).