Provided by: apt_0.8.3ubuntu7_i386 bug

NAME

       sources.list - Lista de recursos de pacote para APT

DESCRI,c~aO

       A lista de recursos de pacote e usada para localizar arquivos do
       sistema de distribuicao de pacotes usado no sistema. Neste momento,
       este manual documenta apenas o sistema de pacotes usado pelo sistema
       Debian GNU/Linux. Este ficheiro de controle e /etc/apt/sources.list.

       A lista de fontes e desenhada para suportar qualquer numero de fontes
       activas e uma variedade de medias fonte. O ficheiro lista uma fonte por
       linha, com a fonte mais preferida listada em primeiro lugar. O formato
       para cada linha e: tipo uri argumentos. O primeiro item, tipo determina
       o formato para argumentos.  uri e um Universal Resource Identifier
       (URI), o que e um super-conjunto para o mais especifico e conhecido
       Universal Resource Locator, ou URL. O resto da linha pode ser marcado
       como um comentario usando um #.

SOURCES.LIST.D

       O directorio /etc/apt/sources.list.d disponibiliza um modo de adicionar
       entradas na sources.list em ficheiros separados. O formato e o mesmo
       que para o ficheiro sources.list regular. Os nomes de ficheiros
       precisam acabar com .list e apenas podem conter letras (a-z e A-Z),
       digitos (0-9), e os caracteres underscore (_), menos (-) e ponto (.).
       De outro modo serao ignorados em silencio.

OS TIPOS DEB E DEB-SRC

       O tipo deb descreve um arquivo Debian tipico de dois niveis,
       distribution/component. Tipicamente distribution e geralmente um de
       stable unstable ou testing enquanto component e um de main contrib
       non-free ou non-us. O tipo deb-src descreve um codigo fonte de
       distribuicao debian no mesmo formato que o tipo deb. Uma linha deb-src
       e necessaria para obter indices fonte.

       O formato para uma entrada na sources.list usando os tipos deb e
       deb-src e:

           deb uri distribuicao [componente1] [componente2] [...]

       O URI para o tipo deb tem de especificar a base da distribuicao Debian,
       a partir do qual o APT ira encontrar a informacao que precisa.
       distribution pode especificar um caminho exacto, que no caso os
       componente tem de ser omitidos e distribution deve terminar com uma
       barra (/). Isto e util para o caso de apenas ser de interesse uma
       sub-seccao particular do arquivo denotado pelo URI. Se distribution nao
       especificar um caminho exacto, pelo menos um component tem de estar
       presente.

       distribution tambem pode conter uma variavel.  $(ARCH) a qual se
       expande a arquitectura Debian (i386, m68k, powerpc, ...) usada no
       sistema. Isto permite que seja usados ficheiros sources.list
       independentes da arquitectura. Em geral, isto e apenas de interesse
       quando se especifica um caminho exacto. De outro modo o APT ira gerar
       automaticamente um URI com a arquitectura actual.

       Como apenas pode ser especificada por linha uma distribuicao, pode ser
       necessario ter varias linhas para o mesmo URI, se so for desejado um
       sub-conjunto de todas as distribuicoes e componentes dessa localizacao.
       O APT ira ordenar a lista de URI apos ter gerado internamente um
       conjunto completo, e ira desabar as varias referencias a mesma maquina
       na Internet, por exemplo, numa unica ligacao, para que nao estabeleca
       uma ligacao FTP ineficiente, a feche, faca outra coisa, e depois volte
       a estabelecer ligacao a mesma maquina. Esta funcionalidade e util para
       aceder a sites FTP ocupados que limitam o numero de utilizadores
       anonimos em simultaneo. O APT tambem paraleliza ligacoes a maquinas
       diferentes para lidar mais eficientemente com sites com baixa largura
       de banda.

       E importante listar as fontes por ordem de preferencia, com a fonte
       mais preferida listada em primeiro lugar. Tipicamente isto ira resultar
       numa ordenacao por velocidades desde o mais rapido ate ao mais lento
       (CD-ROM seguido por maquinas numa rede local, seguido por maquinas
       distantes na Internet, por exemplo).

       Alguns exemplos:

           deb http://ftp.debian.org/debian lenny main contrib non-free
           deb http://security.debian.org/ lenny/updates main contrib non-free

ESPECIFICA,c~aO DA URI

       Os tipos de URI actualmente reconhecidos sao cdrom, file, http, ftp,
       copy, ssh, rsh.

       file
           O esquema file permite que um directorio arbitrario do sistema de
           ficheiros seja considerado um arquivo. Isto e util para montagens
           NFS e mirrors ou arquivos locais.

       cdrom
           O esquema cdrom permite ao APT usar uma drive de CDROM local com
           mudanca de media. Use o programa apt-cdrom(8) para criar entradas
           cdrom na lista de fontes.

       http
           O esquema http especifica um servidor HTTP para o arquivo. Se uma
           variavel de ambiente http_proxy estiver definida com o formato
           http://server:port/, sera usado o servidor proxy especificado em
           http_proxy. Os utilizadores de proxies HTTP/1.1 autenticados pode
           usar uma string do formato http://user:pass@server:port/. Note que
           este nao e um metodo de autenticacao seguro.

       ftp
           O esquema ftp especifica um servidor FTP para o arquivo. o
           comportamento FTP do APT e altamente configuravel; para mais
           informacao veja o manual apt.conf(5). Por favor note que um proxy
           ftp pode ser especificado ao usar a variavel de ambiente ftp_proxy.
           E possivel especificar um proxy http (os servidores de proxy http
           geralmente compreendem urls de ftp) usando este metodo e APENAS
           este metodo. Os proxies ftp que usam http e seja especificados no
           ficheiro de configuracao serao ignorados.

       copy
           O esquema copy e identico ao esquema file com a excepcao que os
           pacotes sao copiados para o directorio cache em vez serem usados
           directamente da sua localizacao. Isto e util para quem use um disco
           zip para copiar ficheiros com o APT.

       rsh, ssh
           O metodo rsh/ssh invoca rsh/ssh a ligar a uma maquina remota como
           um utilizador fornecido e acede aos ficheiros. E uma boa ideia
           fazer preparacoes previas com chaves RSA ou rhosts. O acesso a
           ficheiros remotos usa os comandos standard find e dd para executar
           as transferencias de ficheiros remotos.

       tipos de URI mais reconheciveis
           O APT pode ser estendido com mais metodos lancados em outros
           pacotes opcionais que devem seguir o esquema de nomeacao
           apt-transport-m'etodo. A equipa do APT, por exemplo, mantem tambem o
           pacote apt-transport-https que disponibiliza metodos de acesso para
           URIs https com funcionalidades semelhantes ao metodo http, mas
           estao tambem disponiveis outros metodos para usar por exemplo o
           debtorrent, veja apt-transport-debtorrent(1).

EXAMPLES

       Usa o arquivo armazenado localmente (ou montagem NFS) em
       /home/jason/debian para stable/main, stable/contrib, e stable/non-free.

           deb file:/home/jason/debian stable main contrib non-free

       Como em cima, excepto que usa a distribuicao unstable (de
       desenvolvimento).

           deb file:/home/jason/debian unstable main contrib non-free

       Linha de fonte para o referido acima

           deb-src file:/home/jason/debian unstable main contrib non-free

       Usa HTTP para aceder ao arquivo em archive.debian.org, e usa apenas a
       area hamm/main.

           deb http://archive.debian.org/debian-archive hamm main

       Usa FTP para aceder ao arquivo em ftp.debian.org, sob o directorio
       debian, e usa apenas a area lenny/contrib.

           deb ftp://ftp.debian.org/debian lenny contrib

       Usa FTP para aceder ao arquivo em ftp.debian.org, sob o directorio
       debian, e usa apenas a area unstable/contrib. Se esta linha aparecer
       tambem como aquela no exemplo anterior em sources.list sera usada uma
       unica sessao FTP para ambas linhas de recurso.

           deb ftp://ftp.debian.org/debian unstable contrib

       Usa HTTP para aceder ao arquivo em nonus.debian.org, sob o directorio
       debian-non-US.

           deb http://nonus.debian.org/debian-non-US stable/non-US main contrib non-free

       Usa HTTP para aceder ao arquivo em nonus.debian.org, sob o directorio
       debian-non-US, e usa apenas os ficheiros encontrados sob
       unstable/binary-i386 em maquinas i386, unstable/binary-m68k em m68k, e
       assim por diante para outras arquitecturas suportadas. [Note que este
       exemplo apenas mostra como usar a variavel de substituicao; non-us ja
       nao e mais estruturado desta maneira]

           deb http://ftp.de.debian.org/debian-non-US unstable/binary-$(ARCH)/

VEJA TAMB'eM

       apt-cache(8) apt.conf(5)

BUGS

       p'agina de bugs do APT[1]. Se deseja reportar um bug no APT, por favor
       veja /usr/share/doc/debian/bug-reporting.txt ou o comando reportbug(1).

TRADU,C~AO

       A traducao Portuguesa foi feita por Americo Monteiro
       a_monteiro@netcabo.pt em 2009, 2010. A traducao foi revista pela equipa
       de traducoes portuguesas da Debian traduz@debianpt.org.

       Note que este documento traduzido pode conter partes nao traduzidas.
       Isto e feito propositadamente, para evitar perdas de conteudo quando a
       traducao esta atrasada relativamente ao conteudo original.

AUTHORS

       Jason Gunthorpe

       APT team

NOTES

        1. pagina de bugs do APT
           http://bugs.debian.org/src:apt